quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Um pouco da morfologia

Os aracnídeos são invertebrados, do filo dos artrópodes, e subfilo chelicerata, pertencentes a classe arachinida. O que abrange aranhas, escorpiões, opiliões, ácaros, carrapatos, dentre outros.
Aqui abordaremos aranha e escorpiões.

As aranhas e escorpiões são animais invertebrados, os mais bem adaptados ao meio terrestre, exceto em regiões árticas. As aranhas possuem vários métodos de dispersão entre eles praticam ate o balonismo, onde a aranha espera por uma corrente de ar, lançando uma teia em forma de saco, e que a carrega a longas distancias.

As aranhas possuem queliceras, pelas quais capturam a presa e injetam o veneno, que ira auxiliar na digestão. Os pedipalpos são os primeiros pares de apêndices, que servem para locomoção, captura da presa, e nos machos como órgão reprodutor. Os outros quatro pares de apêndices são as patas. O corpo é dividido em dois tagmas, prossoma onde se localizam os olhos e as patas, e o opistossoma, que possui os órgão vitais, como coração, pulmão, órgãos reprodutivos, e fiandeiras.


Como as aranhas, os escorpiões possuem queliceras e pedipalpos, mas estes modificados. As queliceras e os pedipalpos são queladas, ou seja, em forma de pinça, o que facilita a captura e imobilização da presa. O veneno é injetado através do aguilhão, que se localiza na ponta do telson, no final do pré-abdome. O corpo do escorpião é mais alongado e delgado que o da aranha, possuindo no final uma espécie de cauda o pré-abdome, o qual se curva para a inoculação do veneno.

Tanto aranhas como escorpiões, crescem através de ecdises, ou seja, através de mudas, já que possuem um exoesqueleto, que deve ser trocado para que o animal possa crescer. Neste período o animal se torna frágil e suscetível a predadores ou parasitas, ate que sua nova pele se enrijeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário